Doação de alimentos: quais programas podem ajudar quem passa fome

Doação de alimentos: quais programas podem ajudar quem passa fome

Muitas pessoas passam fome no mundo. Infelizmente, com a crise financeira, esse cenário intensificou-se em meio a pandemia provocada pelo Covid-19. Entretanto, existem alguns programas que podem ajudar com  a doação de cestas-básicas

Com o cenário atual, muitos trabalhadores ficaram desempregados e, com a perda do emprego, acarretou em diversos problemas financeiros, inclusive, dificultando a compra de itens básicos para a sobrevivência. 

Embora, a fome seja um problema mundial durante séculos, a pandemia intensificou ainda mais esse problema, provocando instabilidade financeira em muitas famílias. Mediante a essa situação alarmante, os programas sociais se tornaram ainda mais relevantes para muitas famílias. 

Um dos primeiros passos foi a liberação do auxílio emergencial para milhões de brasileiros desempregados e de baixa renda. Essa ação liberou o valor mensal de R$ 600,00 para cada integrante da família, desde que atendesse aos requisitos. 

Com esse valor, muitas famílias conseguiram manter itens básicos de sobrevivência, principalmente, para a compra de alimentos. Além disso, foram liberados os valores retidos referente ao FGTS, PIS, saque-aniversário, entre outros. 

Quais os principais recursos para a doação de cestas básicas? 

Além da liberação desses valores, o governo também se prontificou a realizar diversas ações para a doação de cesta básica. Uma das campanhas, “Alimento Solidário”, tem como objetivo ajudar 4 milhões de pessoas nos municípios de São Paulo com a doação de alimentos. 

O programa divulgou que 1 milhão de cestas básicas serão destinadas para famílias de baixa renda cadastradas no MEU CADÚnico. Além do estado de São Paulo, outros estados como o Paraná, também tomaram iniciativas para a doação de alimentos. 

No estado do Paraná, por exemplo, foi lançado um cartão nomeado como  “Comida Boa”, com duração de 3 meses e um  valor de R$ 50,00 para cada vale, podendo ser utilizado por famílias de baixa renda na compra de alimentos em supermercados. 

Além das ações de distribuição de alimentos durante a pandemia, existem outros programas que vem ajudando pessoas, são eles: Bom Prato, Merenda em Casa e o Vivaleite.

Bom prato 

O bom prato é um programa que disponibiliza restaurantes pelo estado de São Paulo, oferecendo café da manhã pelo valor de R$0,50 e almoço no valor de R$1,00. Durante a crise, o programa passou a oferecer os alimentos gratuitamente para os moradores de ruas cadastrados.

Merenda em Casa

Com a suspensão das aulas, o governo vai ajudar famílias temporariamente com o valor de R$ 55,00 para a compra de alimentos. Essa doação será feita para famílias com renda inferior a R$ 89,00 mensal, cadastradas no CADÚNICO e famílias beneficiadas pelo Bolsa Família, desde que os alunos façam parte da rede estadual de São Paulo.

Vivaleite

Para ter direito ao benefício é necessário realizar o cadastro no CadÚnico até o dia 14 de julho. O programa distribui 75 milhões de litros de leite anualmente e tem contribuído com muitas famílias com renda mensal de até 1/4 de salário mínimo. 

Esses são alguns dos programas disponibilizados pelo governo. Vale enfatizar que, pra cada estado pode disponibilizar programas e ações diferenciadas, portanto, é fundamental estar atento ao site do governo da sua região e realizar o Cadastro Único para ter acesso a doação de alimentos, cestas básicas  e outros benefícios. 

Leticia Monaly

Redatora no Benefício Social, Publicitária com especialidade em produção de conteúdo. Sou apaixonada pelo universo da comunicação e motivada a explorar ideias.

Deixar um comentário

Seu e-mail não será publicado!

Digite os 3 símbolos em PRETO

captcha image

carregando

Comentários

Seja o primeiro a comentar!